Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

domingo, 23 de abril de 2017

Encontro de Cadernos de Viagens de Abrantes 2017

Aqui ficam os desenhos que fiz em mais um Encontro de Cadernos de Viagem de Abrantes.
Feitos na parte da manhã, o primeiro na excelente companhia do Eduardo Salavisa e do Pedro Costa.
Foi um dia de excelente convívio e troca de experiências.

Ricardo Cabrita

Encontro de Cadernos de Viagem de Abrantes 2017

A fotografia de grupo dos participantes no Encontro de Cadernos de Viagem de Abrantes, organizado pela Biblioteca Municipal António Botto / Município de Abrantes, com a colaboração dos Urban Sketchers Portugal e da Delegação do Centro da Ordem dos Arquitectos.

Como elemento da Delegação do Centro da Ordem dos Arquitectos agradeço a participação de todos, e solicito que nos enviem digitalizações dos desenhos realizados para preparação de próximos encontros e exposições para o Francisco Lopes ou para d.centro@oasrs.org.

Ricardo Cabrita

Marc Sarat

Do dia 25 ao dia 28 de Abril estará em Lisboa o urban sketcher francês Mars Sarat que gostava de desenhar com alguns de nós. Quem tiver disponibilidade neste dias de se encontrar com ele escreva para marc.sarat@univ-lyon2.fr. Ou aqui no Flickr https://www.flickr.com/photos/96936952@N05/


Faculdade de Ciências


Mais um da FCUL. Pavilhões C4 e C5

Sácre Coeur


Em Mont Martre, enquanto o dia se ía, Paris presenteou- nos com um magnifico nascimento da lua. Para assistir ao espetáculo juntaram-se muitas pessoas... a cidade é verdadeiramente cosmopolita, ouvem-se diferentes idiomas, esperemos que depois das eleições assim se mantenha.


(Caneta caligráfica, carimbo e marcador)                                                                                                                                          |«in situ»|

Finlândia I


Partilho convosco uma série de desenhos que trago da última viagem. Foi um passeio de cinco dias, nos antípodas da Europa, onde fui visitar a irmã, que está de Erasmus. Da Finlândia pouco sabia: conheço amigos de lá, sei que é um país famoso pelos lagos, pelo Pai Natal que povoa a Lapónia, a par de algumas celebridades mais reais, como o compositor Sibellius, que partiu há mais de 60 anos, e dos telemóveis Nokia, onde já me diverti a jogar snake.

Neste momento, o avião de Paris pousa sobre o ar prateado que envolve o Báltico. É um Embraer 190, fabrico brasileiro, de grande conforto e suavidade. Mais à frente, as hospedeiras não têm mãos a medir com os pedidos da classe executiva de 8 lugares. Pressinto que a viagem irá surpreender, já que, para chegar ao extremo oposto da Europa, muito terá de mudar.
O fascínio da rua...  ^..^    (Lisboa)


Castro, o meu contributo

22 de abril
Ao chegarmos ao local, fomos recebidos pela Sofia Máximo que fez um breve enquadramento sobre o Lugar e o Monumento - Castro do Zambujal.
 
Quem não conhecia ficou impressionado com a vista. Quem conhecia, descobre sempre algo novo - o eterno espanto.
 
O sol acompanhou-nos toda a tarde, o sol, o silêncio, o chilrear dos pássaros, o verde dos montes, o dourado das pedras....
 
Nos encontros que organizo, costumo desenhar pouco, ou quase nada. Mas hoje, apesar de continuar a ter de recorrer à mão esquerda, consegui alguns minutos, para fazer aquilo que nos move: desenhar o momento e conviver com os amigos. Que bela tarde...
 
 
 

sábado, 22 de abril de 2017

Castro do Zambujal

Muito havia para escrever, mas fico-me pelo OBRIGADO.
Uma tarde inesquecível.
Aqui ficam alguns desenhos e a foto de grupo (ou parte do grupo)
 
 
 
 
Fotografia de grupo com os últimos resistentes.
(os que tiveram de partir mais cedo, estiveram presentes em pensamento)
 
 
 

Santo António Baldio, Reguengos Monsaraz

Planície alentejana

Castro do Zambujal

O local estava tão fabulosos que o espírito era de descontrair à sombra de uma oliveira, petiscar e preguiçar até o mel do sol dar lugar à noite estrelada. Mas... tínhamos o objectivo de assinalar o Dia Internacional de Monumentos e Sítios com desenho, iniciativa do museu Leonel Trindade sob orientação do arq. André Baptista e introdução de Sofia Máximo, aos quais agradeço.
Depois de algumas elucidações sobre a anciã fortificação, dispersamos pela paisagem e fomos riscando...
A estrutura foi descoberta por Leonel Trindade em 1932, classificada como Monumento Nacional em 1946 e tem sido algo de escavações pelos Instituto Arqueológico Alemão, Instituto Português de Arqueologia, sempre com o apoio da CM de Torres Vedras, mais algumas notas no segundo desenho...



Depois de um belo convívio a partilha de desenhos.
 mais em Link

Desenhar na Igreja de Sto Condestável

O mote era os vitrais de José de Almada Negreiros. Uma beleza.
Obrigada, Rosário, por mais esta manhã bem passada em Campo de Ourique!



Louvre


Os grandes museus são impressionantes e tornam- se muito cansativos, o Louvre não é uma exceção.... é um consolo.

(Caneta caligráfica, carimbo)                                                                                                                                                                   |«in situ»|

Oficinas do Convento, Montemor-o-novo


Sítio de convívio e trabalho maravilhoso, aberto, convidativo, vegetariano.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Síntese

A realidade é complexa, cheia de detalhes, formas e cores, significados, ideias, memórias, ilusões... Apesar de gostar de me perder em texturas e detalhes, por vezes não há tempo, nem paciência, é preciso sintetizar. Em vez de me deliciar com a melodia da vegetação, as notas musicais da textura da pedra ou terra, o sabor da cor e as suas conjugações em atmosferas, é essencial encontrar o mínimo que defina a paisagem, saber onde parar...
Algo a repetir, até um desenho de uma hora se traduzir em dez minutos.

Breve passagem pelo Forte de São Vicente, Torres Vedras

Ao almoço, uma pequena pausa para desenhar

Este sketch rápido dos amigos, visitantes do Museu da Aguarela no dia 24 de Março, também tinha ficado perdido...

Ninhou ...mais uma borra regatinada

Ficou por publicar este desenho que fiz quando visitámos o museu da Aguarela de RG...mas ainda está a tempo, acho.
Foram os cactos do Torreão do jardim que desde logo chamaram por mim, mesmo antes de entrar na Casa Museu onde tão bem recebidos fomos.
Foi um prazer visitar a exposição do mestre e também ver as nossas obras de USkP.
Iniciativas destas dão gosto!

Paraty`17

O mesmo ângulo, as mesmas cores, os mesmos reflexos na mesma ponte onde aconteceram os workshops que dei no simpósio internacional USK 2014, mas agora com o grupo USK de Paraty entre outros inscritos numa iniciativa do SESC aproveitando o meu regresso a esta magnífica cidade do Brasil.

Escalpelizar

É o verbo que traduz a acção de retirar o escalpe a alguém... desculpe senhor!


Queijadsa finas de Sintra :)


Há mesmo muitos anos que não comia queijadas de Sintra na Boca do Inferno. Uma paragem numa esplanada  foi o pretexto para relembrar o sabor, depois de um calmo passeio pela marginal.